Politica

Vital Moreira diz que "não dá para entender" escolha de Costa

Constitucionalista critica escolha do governo para a unidade de missão sobre os incêndios 

Vital Moreira afirma que "não dá para entender" a escolha do primeiro-ministro para liderar a unidade de missão sobre os fogos florestais.

O constitucionalista considera que é evidente o "potencial" conflito de interesses. 

"Será que não havia outra personalidade para a chefia da unidade de missão para a montagem do novo sistema de prevenção e combate aos fogos florestais do que o chefe do departamento florestal da indústria de celulose, que é a principal responsável e beneficiária da transformação de Portugal num  paraíso do eucaliptal, que fez do país um incendiário barril de pólvora e criou uma verdadeira ´floresta assassina´?", questiona, no blogue Causa Nossa, o ex-deputado do PS. 

A opção de António Costa já tinha sido criticada pelo Bloco de Esquerda. O deputado do BE Moisés Ferreira afirma, nas redes sociais, que "o conflito de interesses é óbvio, como é óbvio que assim não iremos às causas dos problemas".

O bloquista afirma que Tiago Oliveira Martins é "um nome que não serve para esta importante tarefa".