Internacional

Lidl demite funcionário por trabalhar horas a mais

Carta de demissão fala em “incumprimentos laborais muito graves”. Funcionário queria preparar bem a abertura da loja e chegava mais de uma hora antes e não picava o ponto

O gerente de um supermercado da cadeia alemã Lidl em Barcelona foi despedido por trabalhar mais horas do que aquelas que constam do seu contrato.

O funcionário justifica-se dizendo que só assim conseguia que a loja cumprisse os objetivos de vendas impostos pela empresa.

O Lidl diz que o funcionário, Jean P, que trabalhava na loja há cerca de 12 anos, foi mandado embora devido a “incumprimentos laborais muito graves”, lê-se na carta de despedimento a que o jornal espanhol El País teve acesso.

Segundo a empresa, Jean P chegava à loja loja “entre 49 e 87 minutos” antes da hora de abertura, para repor produtos, alterar preços, etc., tudo sem picar o ponto.

Para o Lidl, o funcionário violou uma das regras de ouro da empresa: “cada minuto que se trabalha é pago e cada minuto que se trabalha deve ficar registado”.

Jean P. terá, segundo o Lidl, incitado outros funcionários a fazerem o mesmo o que terá levado a denúncias, o funcionário acabava por ficar a trabalhar sozinho muitas vezes, o que não é permitido por razões de segurança.

O caso chegou à opinião pública, pois Jean P. levou a empresa a tribunal com o objetivo de ser readmitido, a sua defesa alega que tudo o que o funcionário fez foi para beneficio da loja.

O advogado faz questão de frisar que se trata de uma situação que “não é comum”, pois está a castigar-se um funcionário “por trabalhar demasiado” e por se esforçar-se “para que a loja funcionasse de forma correta”.