Sociedade

PSP substitui apenas metade dos agentes que se reformaram

Novas aposentações e atraso no curso para agentes vão agravar défice
 


O Balanço Social da PSP, publicado esta quinta-feira, indica que no final de 2016 havia um saldo negativo de 381 polícias, devido à saída de 834 agentes e apenas 453 entradas.

O efetivo policial é dos mais reduzidos de sempre e estão ainda previstas, pelo menos, mais 400 passagens à reforma até 31 de dezembro. Ainda que este ano tenham entrado 300 novos agentes, o saldo vai manter-se negativo, tendo em conta o défice relativo a 2016.

Em 2018 a tendência continuará descendente. Além das aposentações, o curso para a admissão de 400 novos agentes ainda nem sequer começou.

O curso de formação dura 10 meses e já devia ter começado. Agora, mesmo que o curso tenha início em janeiro do próximo ano, com agosto descontado pelas férias, só irá terminar em novembro, o que significa que só no final de 2018 é que os novos agentes podem entrar ao serviço, escreve o Diário de Notícias.

A Direção Nacional também não explicou os motivos para o atraso do curso.