Sociedade

Nível de dióxido de carbono na atmosfera atinge recorde

Organização alertou para "uma subida perigosa da temperatura"

A Organização Mundial de Meteorologia (OMM) anunciou que as concentrações de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera atingiram um nível recorde no ano passado e alertam para  o facto de poder ocorrer “uma subida perigosa da temperatura”.

“A última vez que a Terra registou um teor de dióxido de carbono comparável foi há três a cinco milhões de anos: a temperatura era 2º a 3ºC [Celsius] mais elevada e o nível do mar era superior em 10 a 20 metros relativamente ao atual", referiu a agência das Nações Unidas no seu boletim sobre os gases de efeito de estufa.

Esta subida significativa deve-se à “conjugação das atividades humanas com um forte episódio do El Nino”, um fenómeno que surge a cada quatro ou cinco anos, levando à subida da temperatura do oceano e, provocando seca ou precipitação em quantidades elevadas.

Em 2015, a quantidade de CO2 na atmosfera era de 400 partes do milhão e no ano passado registaram-se 403,3 partes por milhão, representando “145% do que se registava na época pré-industrial”.

A OMM deixou o alerta de que se não reduzirmos “rapidamente as emissões de gases com efeito de estufa, nomeadamente de CO2, caminhamos para uma subida perigosa da temperatura até final do século” e defendeu ainda que as gerações futuras não terão um planeta muito hospitaleiro.

O relatório foi divulgado dias antes da conferência da ONU acerca das alterações climáticas, que decorrerá de 6 a 17 de novembro na Alemanha.