Politica

Orçamento de Estado: Quem vota contra?

Debate da votação do Orçamento de Estado começa esta quinta-feira, mas já há quem tenha anunciado a intenção de voto

O Orçamento de Estado (OE2018) vai ser votado na generalidade na sexta-feira, mas na quinta-feira começa o debate. O governo está a contar com o Bloco de Esquerda, o PCP e o PEV para aprovar o documento. 

O PCP já anunciou a intenção de voto. No discurso à saída do Comité Central, Jerónimo de Sousa afirmou que vai apoiar a proposta do OE2018 "que acolhe elementos que se valorizam, inseparáveis da contribuição decisiva do PCP". No entanto, Jerónimo não deixou de enviar críticas ao governo, que responsabilizou pelas limitações e "pelos constrangimentos que assumem desde logo em relação ao défice que impõe a si próprio". 

Também o parecer dos Verdes é favorável ao OE2018. O partido disse ao i que vai votar a favor, mas "continuam a trabalhar na especialidade", porque ainda têm "uma série de propostas" que querem ver "concretizadas". 

Mariana Mortágua, numa crónica no "Jornal de Notícias", em que elogiava a proposta do OE2018, afirmava que "o Bloco não deixará de apresentar medidas que contam". A deputada bloquista acrescentou que "os últimos anos mostram que, quando se ataca direitos, salários e o Estado social, o Excel dá sempre erro e a economia piora. Contas certas são as que melhoram a vida de quem vive e trabalha neste país", deixando a ideia de que "grande parte [das contas] anda está por acertar". 

Do lado oposto, está o PSD. Pedro Passos Coelho anunciou no final das jornadas parlamentares que vai votar contra o OE2018 que, afirmou, "não serve do ponto de vista estratégico o interesse coletivo, não está orientado para o futuro". O líder dos sociais-democratas deixou ainda críticas à geringonça aconselhando os partidos a discutirem "muito bem entre si", para que, se acabar o acordo parlamentar à esquerda, não seja o PSD a ficar "na posição embaraçosa de suportar um orçamento". "Até eu ceder o meu lugar àquele que vier a seguir a mim, não é o PSD que suporta este governo nem os seus orçamentos errados", garantiu Passos Coelho. 

As declarações do ainda líder social-democrata foram duramente criticadas por João Galamba, do PS, que afirmou que o PSD vai votar "contra a generalidade dos portugueses". "É natural que, agora, na oposição, reprove uma proposta de Orçamento do Estado que, pelo terceiro ano consecutivo, faz o contrário do que fez o executivo que Pedro Passos Coelho liderou", afirmou o deputado socialista. 

Assunção Cristas tem vindo a criticar o OE2018, mas ainda não assumiu formalmente a posição do CDS. Na terça-feira, a líder centrista acusou o governo de estar a aplicar um "agravamento nos impostos de dimensão impensável" que será "trágico para o mundo rural" e para os agricultores. Em causa está a alteração ao regime simplificado dos recibos verdes, uma situação que Cristas já tinha criticado depois de um encontro com UGT.

Quem ainda não demonstrou intenção de voto foi André Silva, do PAN. O deputado votou a favor do governo, no que toca às medidas para prevenção e combate aos incêndios, mas sobre o Orçamento de Estado ainda não anunciou a sua posição.