Sociedade

Urban Beach. PGR promete investigação rápida

A procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal, defendeu, esta sexta-feira, que “não pode existir qualquer tipo de complacência” para os atos de violência cometidos em Coimbra e na discoteca Urban Beach.

“São casos preocupantes porque o grau de violência é elevado. Temos de estar atentos, não só para uma investigação rápida, mas também para acionarmos todos os meios de prevenção deste tipo de crimes”, afirmou Joana Marques Vidal, à margem de um seminário promovido pela Eurojust, em Lisboa.

Joana Marques Vidal acrescentou ainda que, nestes casos, “não pode existir qualquer tipo de complacência”, prometendo uma investigação rápida para ambos os casos.

As agressões junto à discoteca lisboeta ocorreram na madrugada desta quarta-feira, e tornaram-se públicas após ter começado a circular nas redes sociais um vídeo onde é possível ver alegados seguranças do Urban Beach a agredirem dois jovens.

O Ministério da Administração Interna entretanto já ordenou o encerramento do espaço.