Desporto

Portugueses. Nuno reina no Championship, Fernandes não para na Rússia

Fim de semana risonho para os treinadores portugueses no segundo escalão do futebol inglês: o Wolves lidera isolado e o Sheffield Wednesday já vislumbra os lugares do play-off. Golos e assistências lusas por toda a Europa

DR  

Na última jornada antes de nova paragem para jogos de seleções, voltou a haver motivos para sorrir em vários portugueses por essa Europa fora. Com especial incidência no Championship, o segundo escalão do futebol inglês, que viu dois treinadores lusos a festejar vitórias muito saborosas. Desde logo, Nuno Espírito Santo, que alcançou a liderança da competição depois de o seu Wolverhampton Wanderers bater o Fulham: 2-0. O Wolves, que contou neste jogo com Rúben Neves, Diogo Jota e Ivan Cavaleiro de início – e com mais um golo do brasileiro Léo Bonatini, ex-Estoril –, vai na frente com 35 pontos em 16 jornadas, cimentando assim o favoritismo na luta pela subida à Premier League.

Também o Sheffield Wednesday, orientado por Carlos Carvalhal, conseguiu um surpreendente triunfo, no caso na visita ao terreno do Aston Villa – que viu John Terry fraturar um dedo do pé e ficar arredado dos relvados nas próximas semanas. Depois de um começo de época muito atribulado, onde Carvalhal começou a receber os primeiros sinais de contestação, duas vitórias consecutivas deixam agora o Wednesday a apenas três pontos dos lugares de acesso ao play-off de promoção – onde a equipa baqueou nas últimas duas temporadas.

Também na Ucrânia mora um líder luso. O Shakhtar Donestk, comandado por Paulo Fonseca, não desarma na corrida pela revalidação do título: este fim-de-semana venceu por 3-1 no terreno do Mariupol e mantém-se na frente do campeonato, com sete pontos de vantagem sobre o Dínamo de Kiev – que ainda tem um jogo a menos. Época quase perfeita do Shakhtar, que está prestes a alcançar também a qualificação para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões, num grupo que tem Manchester City, Nápoles e o campeão holandês Feyenoord. Grande trabalho do técnico português.

Destaque também para a luta estóica do Mónaco, de Leonardo Jardim, num campeonato inglório, onde tenta contrariar o favoritismo claro do multi-milionário PSG. Depois da goleada dos parisienses na visita ao terreno do Angers (0-5), o conjunto do Principado fez ainda melhor e trucidou o Guingamp: 6-0! O Mónaco, que contou com Rony Lopes (convocado por Fernando Santos para os próximos jogos da Seleção Nacional), segue no segundo posto da Ligue 1, quatro pontos atrás do PSG.

Golos da Polónia ao Cazaquistão Foi também uma ronda prolífica em termos de golos lusos – ou grande contribuição para os mesmos. Desde logo na Polónia, onde os gémeos Paixão continuam a faturar à vez. Desta feita foi Flávio a fazer, aos 90’+5’!!!, o golo que garantiu o triunfo do Lechia Gdansk no terreno do Arka Gdynia (0-1). Foi o segundo golo de Flávio Paixão esta temporada, enquanto o irmão Marco leva nove.

Na Rússia, Manuel Fernandes voltou a ser protagonista. Chamado à Seleção pela primeira vez em cinco anos, o médio marcou o seu nono golo da temporada no dérbi entre o Lokomotiv e o CSKA, já depois de ter falhado um penálti. Apesar do 2-2 final, o Lokomotiv continua a liderar o campeonato, com três pontos de vantagem sobre o Zenit, que também empatou (0-0 no terreno do Rubin Kazan).

Na liga escocesa, Candeias continua a assumir protagonismo ao serviço do Glasgow Rangers. O antigo jogador de FC Porto e Benfica marcou um golo e fez uma assistência no triunfo claro dos Rangers sobre o Partick Thistle (3-0), o segundo após a demissão do técnico Pedro Caixinha. Os Rangers ocupam a quarta posição na tabela, a seis pontos do líder e eterno rival Celtic. No mesmo campeonato, outro golo luso: o de Esmael Gonçalves, insuficiente para evitar a derrota caseira do Hearts frente ao aflito Kilmarnock (1-2). Foi o quarto golo do antigo avançado do Rio Ave nesta Liga escocesa.

Em Chipre, mais dois golos com assinatura lusa: Romeu Torres apontou o tento de honra do Olympiacos de Nicósia na goleada sofrida em casa do Anorthosis (5-1), enquanto Margaça, português que entretanto se naturalizou cipriota e representa a seleção daquele país, fez o 2-2 final no empate do Omónia no terreno do Aris Limassol.

Falta falar de Carlos Fonseca, que com um golo aos 90’+3’, selou o quarto lugar – e respetivo acesso às competições europeias – do Irtysh Pavlodar no campeonato do Cazaquistão, fruto da vitória na derradeira ronda sobre o Shakhter Karagandy, por 1-0.

Em termos de assistências, destaque para o contributo precioso de André Simões na vitória do AEK de Atenas sobre o adversário direto PAOK (1-0). O antigo médio do Moreirense fez o passe para o golo de Livaja, que coloca o conjunto da capital na liderança do campeonato grego, ex-aequo com o Atromitos.

Na Roménia, Diogo Salomão fez um trabalho extraordinário no segundo golo da vitória (0-3) do Dínamo de Bucareste na visita ao reduto do Gaz Metan. O Dínamo segue em sétimo. Já o passe longo de Ricardo Carvalho para o primeiro golo do Shanghai SIPG acabou por valer de pouco ao conjunto orientado por André Villas-Boas, derrotado em casa na última jornada da Liga chinesa pelo Jiangsu Suning: 2-3. O Shanghai terminou o campeonato em segundo, atrás do Guangzhou Evergrande de Luiz Felipe Scolari, mas ainda pode ganhar a Taça.

Também infrutífera foi a assistência de Gil Dias para o primeiro golo da Fiorentina no desaire caseiro (2-4) perante a Roma. Os viola, que tiveram ainda Bruno Gaspar no onze, ocupam um dececionante nono lugar na Série A italiana.

Referência final para a assistência de Antunes para o primeiro golo do Getafe no 2-2 em casa do Bétis de Sevilha. O lateral-esquerdo, recorde-se, faz parte da lista escalonada por Fernando Santos para os jogos de Portugal com a Arábia Saudita e os Estados Unidos. O Getafe é 12º, num campeonato liderado pelo Barcelona de Nélson Semedo e André Gomes e onde o Valência de Gonçalo Guedes é sensação: segue em segundo, a quatro pontos dos blaugrana.