Sociedade

Fénix. Pinto da Costa e Antero Henriques absolvidos

Decisão do Tribunal de Guimarães sobre o processo relativo à prestação de serviços de segurança ilegais foi conhecida esta tarde.

Jorge Nuno Pinto da Costa e Antero Henriques foram absolvidos hoje pelo Tribunal de Guimarães no processo relativo à prestação ilegal de serviços de segurança pessoal. O Ministério Público já tinha pedido a absolvição dos dois arguidos.

No âmbito da denominada Operação Fénix, existem 54 arguidos, sendo Eduardo Silva uma das peças centrais do alegado esquema, uma vez que se trata do dono da empresa de segurança SPDE.

O presidente da SAD do Futebol Clube do Porto estava acusado de sete crimes de exercício ilícito da atividade de segurança privada, uma vez que recorrera a uma empresa sem acreditação para esse efeito.

O Ministério Público considera que Eduardo Silva se terá aproveitado da sociedade SPDE para dominar a segurança da diversão noturna em várias cidades e que usando a intimidação terá ainda apostado nas cobranças difíceis, também de forma ilegal.

Pinto da Costa e Antero Henriques foram acusados de ter aderido a tais serviços, ou seja, da coautoria dos crimes de extorsão e coação.

A leitura do acórdão estava marcada para as 13h45, mas acabou por começar 45 minutos depois.

 

(Atualização)