Aviação

Novos contratos de 63 mil milhões de euros

A Airbus e a Boeing asseguraram mais de 75 mil milhões de dólares (63 mil milhões de euros) em contratos de aviões de corredor único. 

A fabricante europeia recebeu uma encomenda de 430 aeronaves, considerada histórica pelo setor, que ascende a 49,5 mil milhões de dólares. A norte-americana anunciou a encomenda de 225 aparelhos por 27 mil milhões de dólares.

No caso da Airbus está em causa o maior contrato da sua História com a compra de aviões A320 neo (273 unidades) e A321 neo (157 unidades) pela sociedade de investimento Indigo Partners, especializada no aluguer de aeronaves.

Os aviões serão alugados às companhias low-cost Frontier Airlines (EUA, 134 aviões), JetSMART (Chile, 70 aviões), Volaris (México, 80 aviões) e Wizz Air (Hungria, 146 aviões). Esta última também voa para Portugal.

Pouco depois, a Boeing anunciou um acordo com a Flydubai de 225 ou mais dos seus 737 Max 8. O valor inicial é de 27 mil milhões de dólares e envolve 175 aeronaves. Mas segundo a empresa norte-americana há opção de compra de mais aviões.  

Ambos os negócios refletem a popularidade dos aviões de corredor único entre as companhias aéreas low-cost. A Airbus e a Boeing têm aumentado a sua produção deste tipo de modelos para satisfazer a procura.  

No que diz respeito à Airbus, é a encomenda mais importante até ao momento para o fabricante europeu e coloca-a à frente da rival norte-americana. São 718 as encomendas ao grupo europeu e 605 à Boeing.