Sociedade

Reações à morte de Belmiro de Azevedo

Empresário morreu com 79 anos, era um dos homens mais ricos de Portugal.

Dono do grupo Sonae era um empresário com uma personalidade forte e já muitos reagiram à sua morte.

Alexandre Soares dos Santos: “é uma notícia muito triste e uma grande perda para o país”

O presidente do conselho de administração do grupo Jerónimo Matins, Alexandre Soares dos Santos, em declarações à RTP3 afirmou nunca ter vito Belmiro como um concorrente, mas sim como um “grande empresário”. Soares dos Santos afirmou que é “notícia muito triste e uma grande perda para o país”.

Fernando Gomes lamenta morte de Belmiro

Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), lamentou a morte do empresário que foi um "exemplo" para o país.

"É na verdade a perda de um homem inigualável, um lutador, com um percurso de vida fantástico, nobre e de grande exemplo para todos nós, com vastos conhecimentos e experiências que enriqueciam quem com ele tinha o privilégio de conviver", referiu o presidente, citado no site da federação.

Pedro Santana Lopes: Belmiro é "um exemplo"

O candidato à presidência do PSD reagiu ao desaparecimento de Belmiro de Azevedo no final de uma audiência com a Confederação do Turismo de Portugal. “Quero manifestar o meu pesar pela morte de uma pessoa que tanto deu a Portugal, tanto contribuiu para a economia portuguesa, para o emprego de muitos portugueses e que tinha uma visão que ultrapassou em muito as nossas fronteiras”, afirmou, citado pela Lusa.

Santana Lopes defendeu que “os portugueses têm de se habituar cada vez mais a respeitar os grandes empresários, os grandes empreendedores", dizendo também que Belmiro é “uma dessas pessoas que o país tem de respeitar e acarinhar”.

António Lobo Xavier: "aprendi várias coisas da vida humana, fora das empresas, com ele"

O advogado e amigo pessoal de Belmiro de Azevedo reagiu à SIC Notícias. “Não posso deixar de começar pela marca pessoal que me deixou. É alguém a quem estive ligado durante muitos anos por uma grande amizade e, também, por razões profissionais. A quem devo grande parte do que sou como profissional e, também, como homem – porque também aprendi várias coisas da vida humana, fora das empresas, com ele. Estou triste. Era um homem que nós gostávamos de ver na plena posse das suas capacidades físicas e intelectuais. Já não estava exatamente assim. Portanto, prefiro guardar a imagem que dele tinha nos anos oitenta, a imagem de um homem de uma intuição, de uma força interior, de um fulgor", disse.

Enquanto homem de negócios, Belmiro era para Lobo Xavier "rigoroso, criador de uma cultura de exigência. Mas, ao mesmo tempo, era capaz de longas amizades, enormes lealdades. Num círculo limitado, claro. Não era um homem capaz de abraçar toda a gente, tinha as suas divergências".

Rui Nabeiro: “um homem extraordinário”

Para o fundador da Delta Cafés, Belmiro de Azevedo era "um homem extraordinário, que lutou e soube lutar" e "um exemplo em Portugal para todos os empresários". O empresário disse ter sido "com muita tristeza” e com “um grande abalo" que recebeu a notícia, acrescentando que Belmiro "é um exemplo em Portugal para todos os empresários, que procurou trabalho e procurou dar trabalho. Foi um grande criador".

Pinto da Costa recorda época em que foram colegas na direcão do Futebol Clube do Porto

O Presidente do FCP disse ao Porto Canal que Belmiro de Azevedo "era o sócio nº 1714 há mais de 50 anos" e lembra "com saudade" os tempos em que se sentavam lado a lado, semanalmente, enquanto colegas de direção entre 1969 e 1971. Pinto da Costa assinalou também que Belmiro de Azevedo "foi o grande impulsionador da natação".

Rui Rio: "um verdadeiro empresário"

Para o candidato à presidência do PSD, Belmiro de Azevedo era "um verdadeiro empresário", responsável pela criação de milhares de empregos. Citado pela Lusa, num encontro com militantes do PSP em Lisboa, Rui Rio disse até que, se houvesse mais empresários como ele em Portugal, a "economia portuguesa seria muito diferente".

"Nós, às vezes, confundimos gestores com empresários. O engenheiro Belmiro de Azevedo era gestor, mas era acima de tudo um empresário. Criou empregos, fez crescer a economia e quando digo criou empregos, criou milhares de empregos", acrescentou.

Em atualização