Internacional

Governo das Honduras decreta Estado de excepção

Forças Armadas e polícia nacional terão mais poderes para conter os protestos da oposição. O Recolher obrigatório foi imposto

O governo das Honduras decretou a suspensão de direitos constitucionais com o objetivo de dar ao exército e à polícia mais poderes para conter os protestos da oposição contra alegadas fraudes eleitorais nas eleições presidenciais do passado domingo. O recolher obrigatório, entre as 18 horas e as 6 horas, é uma das medidas aprovadas, mantendo-se por dez dias. 

O anúncio da decisão governamental foi feito por Ebal Diaz, um alto funcionário do conselho de ministros, através da televisão depois da comissão nacional eleitoral ter afirmado continuar com a contagem de votos no sábado. 

"A suspensão das garantias constitucionais foi aprovada para as forças armadas e para a polícia nacional poderem conter a onda de violência neste país", afirmou Diaz. 

Pelo menos uma pessoa morreu e outras 22 ficaram feridas, incluindo doze elementos das forças armadas e da política, na sequência dos confrontos entre manifestantes e as forças da autoridade. Os manifestantes e as forças de oposição temem que o atual presidente Juan Orlando Hernández tenha tentado cometer fraude nas eleições presidenciais.