Internacional

Supremo espanhol cancela mandado de detenção de Puigdemont

Lei espanhola quer ter exclusividade na investigação e decisão sobre acusações a políticos catalães

A Justiça Espanhola decidiu retirar as ordens europeias de detenção do ex-presidente do governo catalão, Carles Puigdemont, e de quatro dos seus antigos governantes.

A decisão do Supremo Tribunal espanhol deve-se ao facto de Espanha querer chamar a si o poder exclusivo de decisão acerca dos crimes de que Puigdemont e os antigos ministros são acusados.

Ao terem sido retirados os mandados de detenção europeus, a justiça da Bélgica, país onde estão as cinco pessoas em causa, deixa de poder decidir sobre as acusações.

O comunicado do tribunal, divulgado esta terça-feira, refere ainda que os políticos terão já manifestado vontade de regressar a Espanha de livre iniciativa, ou seja sem necessidade de haver uma ordem de deportação.

Sublinhe-se que o mesmo Supremo divulgou, segunda-feira, a decisão de manter o vice-presidente da Catalunha Oriol Junqueras, e mais três elementos do antigo governo catalão em prisão preventiva, por outro lado autorizou a libertação de outros seis elementos sob pagamento de uma fiança de 100 mil euros cada.