Sociedade

GNR acusado de violar funcionária da limpeza foi absolvido

Caso ocorreu em Silves

Um militar da GNR acusado de ter violado uma mulher no posto de São Bartolomeu de Messines, em Silves, foi esta terça-feira absolvido.

Segundo o acórdão, o colectivo de juízes chegou à conclusão que se trataram de atos sexuai consentidos: "não se provou que o arguido tenha usado violência ou ameaça grave a fim de obrigar a assistente" a praticar atos sexuais, refere o documento. Tais considerações tornaram improcedente o pedido de indemnização formulado pela acusação, no valor de 92.270 euros.

O caso ocorreu em 2015 numa altura em que a mulher, que era funcionária da limpeza daquele posto da GNR, se encontrava no local sozinha com o militar. Os juízes consideraram que, tal como em ocasiões anteriores em que o arguido e a alegada vítima estiveram juntos, as relações sexuais deram-se por vontade mútua.

A mulher deixou de trabalhar naquele posto da GNR, mas o militar continua em funções no mesmo local.