Desporto

Dérbi de Manchester. O tira-teimas

Encontro de máxima importância numa altura em que 8 pontos separam o líder City do United, segundos classificados da liga inglesa. Blues seguem invencíveis na prova, mas red devils não perdem há 40 encontros em Old Trafford

Depois da vitória no reduto do Arsenal (3-1), o Manchester United de José Mourinho volta a ter o maior desafio da próxima jornada da Premier League, a 16.ª. O dérbi de Manchester está reservado para domingo, pelas 16:30h, em Old Trafford, naquele que é o jogo grande se olharmos para os vários campeonatos disputados pela Europa. 

Com uma diferença de 8 pontos a separar favoravelmente os comandados de Pep Guardiola, líderes da liga inglesa, dos red devils, segundos classificados, este encontro pode ser visto verdadeiramente como um tira-teimas. Apesar de os blues terem o lugar mais alto do pódio reservado, pelo menos até à 18.ª ronda da liga, um triunfo por parte dos homens da casa acabaria, finalmente, com a invencibilidade do plantel do City que, recorde-se, ainda não perdeu qualquer encontro na prova (14 vitórias e um empate). Mais: o City soma apenas uma derrota esta época em todas as competições após ter perdido esta quarta-feira com o Shakhtar Donetsk, liderado pelo treinador... português, Paulo Fonseca, em jogo a contar para a fase de grupos da Liga dos Campeões. 

“Queríamos terminar a época sem derrotas, mas no futebol é complicado vencer todos os jogos. O próximo jogo é com o Manchester United e sabemos que será difícil, especialmente por jogarmos fora. Vamos dar o nosso melhor para vencer e manter a vantagem no primeiro lugar. Queremos jogar o futebol a que habituámos os nossos adeptos”, comentou o internacional português Bernardo Silva. “Quando se perde um jogo há que dar ainda mais no seguinte. Sabemos que o Manchester United tem uma boa equipa, mas tudo faremos para impor o nosso futebol e trazer os três pontos para casa”, acrescentou o extremo-direito que se transferiu do campeão Mónaco para a turma de Guardiola.

Reduzir a diferença para cinco pontos é, assim, a maior obrigação de Special One e companhia que, até ao momento, contam com duas derrotas na caminhada feita até aqui, com o Chelsea e Huddersfield Town, na 11.ª e 9.ª jornada, respetivamente. De salientar, contudo, que as derrotas dos red devils foram sempre fora de casa, inclusivamente com o Basileia, em embate a contar para a Champions, e que após a vitória diante do CSKA de Moscovo (2-1) o United alcançou o melhor registo da história do clube no que respeita ao número de jogos sem perder no seu terreno. São neste momento 40 o número de encontros que o United contabiliza sem perder em Old Trafford!

Mou sem medos

Mourinho não teve problemas, quando confrontado com a imprensa, em admitir quais são os jogadores que estão à sua disposição ou não, devido a lesão, para este embate de máxima importância. “Quando há lesionado, há lesionados. Eu não tento esconder como outros. O Eric Bailly não tem hipóteses para o fim de semana, o Phil Jones tem e o Fellaini também. O Zlatan [Ibrahimovic] tem grandes possibilidades e o Matic está lesionado, mas vai jogar de certeza. O Carrick não tem hipóteses”, atirou em jeito de provocação dirigido ao seu próximo opositor, Pep Guardiola, bem como a Arsène Wenger, orientador do Arsenal e último adversário do United na liga.