Sociedade

Professora de Português nega ser alvo de processo disciplinar

Esta quinta-feira, o Expresso avançou que a presidente da Associação de Professores de Português tinha sido alvo de um processo disciplinar, por uma alegada fuga de informação no exame de 12º ano de Português deste ano.

A Inspeção-Geral da Educação concluiu o inquérito realizado sobre a alegada fuga no exame nacional de Português do 12º ano deste ano, e instaurou um processo disciplinar à presidente da associação de professores de Português, Edviges Ferreira, de forma a “apurar responsabilidades”, diz o Expresso.

No entanto, Edviges Ferreira nega ter sido alvo desse processo: "Não fui até hoje notificada de qualquer tipo de processo em que seja visada, relativo aos factos noticiados pelo jornal Expresso. Surpreende-me que o jornal tenha conhecimento de que supostamente me foi aberto um processo disciplinar, quando eu própria não tenho qualquer conhecimento de nenhum processo", declarou a professora, em comunicado.

O processo disciplinar é aberto em consequência do inquérito da Inspeção-Geral de Educação e Ciência.