Sociedade

225 mil migrantes obtiveram nacionalidade portuguesa entre 2008 e 2016

Segundo o INE, o número de atribuições de nacionalidade foi o mais elevado em 2016

A três dias de se comemorar o Dia Internacional do Migrante, o Instituto Nacional de Estatística publicou o número total de aquisições de nacionalidade portuguesa entre 2008 e 2016. Segundo o INE, neste período 225,4 mil estrangeiros adquiriram a nacionalidade portuguesa, uma média anual de 25 mil. 

Entre 2008 e 2016, o número de atribuições de nacionalidade foi o mais elevado em 2016, perfazendo 29 351 os estrangeiros que adquiriram nacionalidade portuguesa, um acréscimo de 30% face a 2015. 

Os cidadãos brasileiros e cabo-verdeanos representam a maioria dos que adquiriram a nacionalidade, perfazendo 43% do total, mais especificamente 60 mil e 37 mil, respetivamente. 

Entre as várias formas de se obtenção da nacionalidade, a naturalização foi a principal neste período, representando 41% dos casos para as pessoas residentes no estrangeiro e 73% para os estrangeiros que vivem no país. 

A idade média dos cidadãos que adquiriram a nacionalidade varia conforme residam no estrangeiro ou em solo nacional. Para os residentes em Portugal, a idade média situa-se nos 33 anos, enquanto que nos residentes no estrangeiro se encontra nos 48 anos. Este dado é de suma importância num país crescentemente envelhecido. 

O Dia Internacional do Migrante a 18 de dezembro foi proclamado pela Assembleia-Geral das Nações Unidas a 4 de dezembro de 2000.