Internacional

130 crianças venezuelanas impedidas de passar o Natal com os pais

Crianças contavam com as respetivas autorizações paternas para realizar a viagem mas foram impedidas pelas autoridades.

A denúncia partiu da ONG União Venezuela no Peru (UVP). Os motivos do impedimento não são revelados mas em comunicado, é referido que se trata de uma medida "arbitrária e sem justificação legal".

De acordo com a presidente da subcomissão de Crianças e Adolescentes da Assembleia Nacional (parlamento venezuelano), Karín Salanova, a proibição "põe em evidência, uma vez mais, a violação a que estão expostas as crianças, aos que lhes foram pisados os seus direitos constitucionais, lhes anularam os passaportes e impediram o direito de estar com a família". Por outro lado, Maria Corina Machado, do partido opositor Vente Venezuela (Vem Venezuela), condenou a proibição de saída das crianças, que atribuiu a uma prova da "perversidade" do Governo do Presidente Nicolás Maduro.

"É comunismo cubano, puro e duro. Crianças feitas da tirania. Não têm limite [no Governo]. Não vão entregar o poder, há que tirá-lo", escreveu no Twitter.

A UVP é uma ONG que ajuda as famílias venezuelanas a reencontrarem-se e angaria fundos através da campanha "Uma luz de esperança".