Economia

Autoeuropa. Fábrica volta a parar quatro dias por falta de peças

Paragem entre os dias 26 e 29 acontece numa altura em que as negociações sobre os novos horários de trabalho estão num impasse

 

A Autoeuropa vai interromper a produção durante quatro dias, por falta de peças “críticas”. A informação foi comunicada hoje pela própria empresa. “A Volkswagen Autoeuropa vai interromper a produção entre os próximos dias 26 e 29 de dezembro. Esta paragem deve-se à quebra no fornecimento de peças críticas para o processo produtivo”, pode ler-se no comunicado enviado às redações. A empresa informa ainda que “o normal ritmo de produção” será retomado no turno da manhã do dia 2 de janeiro de 2018.

Segunda paragem

A fábrica da Autoeuropa em Palmela já se tinha confrontado com a falta de peças para a produção do T-Roc na semana passada. A explicação varia. De acordo com a empresa, como a Volkswagen está a lançar muitos novos modelos, provocou uma quebra no stock dos fornecedores. Um argumento bem distinto dos trabalhadores. “Os fornecedores escolhidos foram os mais baratos. Nós, trabalhadores, alertámos que seria problemático. A administração assim não o entendeu. Aqui está o resultado: o que é barato sai caro”, disse a referida fonte. 

Impasse nas negociações

A administração mostra pouca abertura para mudar os horários a aplicar a partir de janeiro. As negociações recomeçaram ontem depois da administração e da Comissão de Trabalhadores terem estado reunidas na sexta-feira com o ministro do Trabalho Vieira da Silva.

Tudo indica que as conversações vão recair só sobre o modelo de trabalho a aplicar no segundo semestre do ano, altura em que vai ser implementada a laboração contínua. 

 As duas partes estiveram reunidas, esta sexta-feira, com o ministro de trabalho Vieira da Silva e à saída do encontro o diretor da fábrica, Miguel Sanchez, foi claro: o que “pode mudar é o modelo de trabalho do segundo semestre”, admitindo no entanto que a reunião foi “muito produtiva e proveitosa”. Também a posição da Comissão de Trabalhadores não deixou dúvidas. Fernando Gonçalves garantiu que o plenário de trabalhadores na fábrica de Palmela mantém-se no dia 20 de janeiro.

Depois de dois pré-acordos chumbados sobre mudanças de horários, a administração da Autoeuropa decidiu unilateralmente avançar com o horário aos sábados, a implementar a partir de janeiro do próximo ano, sem esperar pela luz verde por parte dos trabalhadores da fábrica de Palmela. No entanto, deixou em aberto as mudanças de horário a partir de agosto - altura em que entra em funcionamento a laboração contínua - assim como uma porta aberta para o diálogo com a comissão de trabalhadores (CT).

Uma decisão que foi imediatamente rejeitada pela CT ao alegar que “este modelo de horário e as suas condições são mais desfavoráveis e contrariam a vontade expressa pela maioria dos trabalhadores”. O plenário de amanhã tem como agenda a discussão da situação da empresa, assim como a apresentação do caderno reivindicativo.