Internacional

Espanha. Salário mínimo aumenta para 850 euros até 2020

Atualizações dependem da evolução da economia. Eliminar disparidade salarial entre homens e mulheres é outro objetivo do governo

O presidente do governo espanhol disse, esta terça-feira, que há um acordo com os parceiros sociais para o aumento do Salário Mínimo (SMI). O valor passará dos atuais 707,6 euros mensais para os 850 euros em 2020. Para o próximo ano o SMI subirá 4% até aos 735,9 euros mensais, em 14 pagamentos, e nos restantes anos aumentará até 850 euros, em 2020. 

 “O acordo que hoje firmámos manterá a subida do salário mínimo”, salvaguardando que isto acontecerá “sempre que a economia cresça acima dos 2,5%” e que “se criem 450 000 empregos” por ano, afirmou o presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy. 

“São limites muito prudentes, porque ficam abaixo do que estamos a prever”, acrescentou, depois da assinatura do documento em conjunto com a ministra do Emprego, os  secretários-gerais da CCOO - Confederação Sindical das Comissões Operárias e a UGT - União Geral dos Trabalhadores, e os presidentes de CEOE - Confederação Espanhola das Organizações Empresariais e Cepyme - Confederação Espanhola das Pequenas e Médias Empresas.

“Trabalhamos para que a recuperação económica chegue a todos os salários, especialmente os mais baixos”, afirmou Rajoy na cerimónia de apresentação do acordo. “Une-nos o compromisso firme de fazer mais por aqueles que mais precisam”, disse ainda o chefe do executivo.

Segundo o acordo, o aumento para o  próximo ano deverá abranger mais de 530 mil pessoas e terá um impacto de 33,2 milhões de euros nas contas da Segurança Social.

Também hoje a imprensa espanhola dava conta do compromisso do governo espanhol  em reduzir as disparidades salariais e a desigualdade de género nas empresas. 

Para isso estuda a implementação de uma medida que obriga as empresas com menos de 50 trabalhadores a informarem o governo sobre os salários dos trabalhadores, distinguindo homens e mulheres.

De acordo com o “Expansión”, o objetivo é “reduzir as disparidades salariais entre homens e mulheres”, embora “a implementação dos meios necessários devam ser objeto de negociação e debate”. 

Precariedade Em média, em 2014, os homens espanhóis ganhavam 25 727 euros anuais e as mulheres 19 744 euros. E apesar da maior formação profissional, as mulheres têm empregos mais precários em quase todos os níveis de vencimento, em especial nos abaixo dos 30 mil euros anuais. Os dados revelam ainda que quase dois milhões de mulheres em Espanha trabalham a tempo parcial.

O acordo para a subida do SMI surge numa altura em que  a situação política em Espanha é conturbada devido às pretensões independentistas da Catalunha. O governo espanhol previu em outubro que estas resultassem numa queda do PIB dos 2,6% previstos para 2018 para os 2,3%. Quase 1500 empresas já deixaram a região autónoma e segundo o executivo caso a situação da Catalunha “volte ao normal”, a economia espanhola beneficia de uma vaga de novos