Sociedade

Réveillon: Super Bock demarca-se das cartolas de Medina

Após notícias que trouxeram a público o nome da Super Bock para justificar gastos com cartolas, a marca de cervejas afirma que o seu envolvimento está ‘limitado ao papel de patrocinador’.   

A distribuição de cartolas na noite de passagem de ano no Terreiro do Paço não terá sido uma escolha da Super Bock, nem sequer uma contrapartida obrigatória para a atribuição do financiamento à Empresa Municipal de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural de Lisboa (EGEAC). Algumas fontes ligadas ao processo que preferiram não ser identificadas explicaram ao SOL que o objetivo da marca era apenas o de ter material de visibilidade nas noites do evento. 

Após o jornal i ter revelado na última semana que a autarquia ia pagar 57 mil euros por cartolas para a noite de passagem de ano, a empresa municipal justificou que tal iniciativa se tratava de uma condição para que houvesse um financiamento de 200 mil euros da Super Bock.

Saiba mais na edição deste sábado do SOL, já nas bancas