Desporto

Premier League. Carvalhal estreia-se com reviravolta frente a Marco Silva

Entrada auspiciosa do técnico luso no principal escalão do futebol inglês e com Renato Sanches a cumprir os 90 minutos no Swansea

Estreia de sonho para Carlos Carvalhal no comando do Swansea. No primeiro jogo na Premier League, o técnico português de 52 anos conseguiu uma vitória por 2-1 no terreno do Watford, orientado pelo compatriota Marco Silva, com dois golos marcados nos últimos dez minutos.

Os swans arrancaram para este encontro em último e numa depressão profunda. E tudo piorou logo aos 11 minutos, quando o peruano Carrillo, cedido pelo Benfica ao Watford, colocou a equipa da casa em vantagem - estreia a marcar na Premier League. A quatro minutos dos 90, porém, Jordan Ayew empatou para o emblema galês, e já nos descontos, Narsingh sentenciou a reviravolta, após livre de Renato Sanches e defesa de Gomes para a frente, deixando Carvalhal eufórico, enquanto Marco Silva abanava a cabeça. Renato Sanches, refira-se, fez os 90' a bom nível, naquela que terá sido provavelmente a sua melhor exibição desde que chegou a Inglaterra.

O Swansea é agora penúltimo, à condição, a dois pontos dos lugares fora da zona de despromoção. Já o Watford, que soma apenas uma vitória nas últimas oito jornadas, permanece em décimo. No fim, Carvalhal não escondeu a satisfação. "Foi um jogo difícil, o Watford tem uma boa equipa. Fizemos de tudo para ganhar. Em alguns momentos tivemos sorte, mas eles também tiveram. A sorte faz parte do jogo. Preparámo-nos muito bem e alterámos a equipa. Devo dizer aos meus jogadores que estou muito, muito feliz com aquilo que eles fizeram dentro de campo numa situação difícil. São melhores do que aquilo que têm mostrado até aqui. Precisam de um plano e de alguma dinâmica. Durante o jogo foram melhorando", elogiou o técnico português, que tem apenas dois dias de trabalho no Swansea, assumindo todavia que nem tudo correu como planeado inicialmente: "Nos primeiros 45 minutos não jogámos como queríamos porque tivemos problemas em controlar, só nos últimos 15 minutos é que conseguimos resolver isso. Aí começámos a correr riscos e pusemos mais jogadores no ataque. Primeiro o Narsingh à direita, depois o Renato Sanches à esquerda para tentar ligar o jogo."

Marco Silva, por seu lado, era um homem amargurado. "É muito difícil de digerir. Estamos desapontados, tal com os nossos adeptos. Fizemos o suficiente para ganhar, controlámos, marcámos e tivemos oportunidade de matar o jogo mesmo antes de eles marcarem. A este nível, quando não se marca, dá-se esperança ao adversário. No cruzamento seguinte eles marcaram, num lance que parece em fora de jogo. Com o 1-1 precisávamos de ser diferentes para manter o foco até ao final", asseverou.

 

United também em crise

Não é só Marco Silva, porém, a ter razões para lamentar a sorte. Também José Mourinho viu o Manchester United tropeçar mais uma vez: 0-0 em casa com o Southampton, no que foi o quarto jogo seguido sem vencer, depois da derrota com o secundário Bristol, no adeus à Taça da Liga, e dos empates com Leicester e Burnley, este também em Old Trafford.

Desta feita, Mourinho perdeu Lukaku logo aos oito minutos, após um choque de cabeças do avançado belga com Hoedt. Para o seu lugar entrou Rashford, mas nada viria a fazer os red devils balançarem as redes do Southampton, que não vence há oito jogos. O lance de maior destaque do encontro viria a acontecer já perto do fim, quando Pogba, no ímpeto de marcar, tocou numa bola que se encaminhava já para a baliza de McCarthy. O problema é que o médio francês estava fora-de-jogo e, por isso, o tento foi invalidado. O encontro viria a terminar como começou, ao contrário do United: devido à goleada do Chelsea na receção ao Stoke (5-0), os blues subiram para segundo, com os red devils a cair para o terceiro posto.

Em quarto segue o Liverpool, que recebeu e venceu o Leicester por 2-1. Vardy até pôs os visitantes em vantagem logo aos três minutos, mas Salah, a grande figura dos reds esta temporada, bisou na segunda parte e deu a vitória aos homens de Jurgen Klopp, que irão defrontar o FC Porto em fevereiro, nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões.

Nota também para novo triunfo do Wolverhampton Wanderers. Desta feita, a equipa orientada por Nuno Espírito Santo foi vencer ao terreno do Bristol, por 2-1, com um golo de Bennett aos 90'+3'. Rúben Neves, Diogo Jota e Hélder Costa foram titulares, com Ivan Cavaleiro a substituir este último aos 62'. O Wolves lidera o Championship com mais 10 pontos que o segundo classificado, o Derby County.

Nos outros jogos deste escalão com portugueses envolvidos, realce para a vitória do Bolton no terreno do Sheffield United: 0-1. Filipe Morais foi titular nos visitantes, saindo aos 65'. Nélson Oliveira e Ivo Pinto cumpriram os 90' no 0-0 do Norwich com o Burton, enquanto Lucas João entrou ao intervalo na derrota do Sheffield Wednesday em casa do Brentford (2-0).