Espanha

Desemprego em mínimos de 2008

No final de 2017 estavam inscritos nos serviços públicos de emprego de Espanha 3.412.781 pessoas, o número mais baixo desde 2008. 

Por comparação com 2016 houve uma diminuição de 290.193 pessoas, e em dezembro do ano passado, em relação ao mês anterior, havia menos 61.500 desempregados inscritos nos serviços.

Os dados publicados em Madrid pelo Ministério do Emprego e da Segurança Social de Espanha revelam ainda que em 2017 houve mais 611.146 pessoas a inscreverem-se nos serviços de Segurança Social. No final do último ano havia o registo de 18.460.201 pessoas ocupadas.

Em dezembro de 2017, e por comparação com novembro, o número de inscritos aumentou em 42.444, naquela que foi a maior subida mensal desde 2005. Em relação a dezembro de 2016, há mais 637.232 pessoas inscritas na segurança social de Espanha.

Apesar de o desemprego ser o segundo mais alto da zona euro, depois da Grécia, os números revelam que a economia espanhola está a recuperar. No final de 2013 a Espanha começou a sair de um período de recessão inciado em 2008 com uma bolha imobiliária. Em 2012 a taxa de desemprego chegou aos 27%.

O número de espanhóis sem emprego em 2016 chegou aos 4,24 milhões. No auge da crise económica recente tinha ultrapassado os seis milhões.