Internacional

Islândia é o primeiro país a tornar ilegal a desigualdade salarial

As empresas que pagarem mais a homens do que a mulheres podem estar sujeitas a pagar uma multa.

Esta segunda-feira entrou em vigor, na Islândia, uma lei que faz com que a desigualdade salarial seja ilegal neste país. Desta forma, as empresas que pagarem mais aos homens do que as mulheres podem ter de pagar uma multa.

De acordo com a nova lei, qualquer empresa privada ou agência governamental que tenha, pelo menos, 25 funcionários, tem de ter, obrigatoriamente, uma certificação oficial pelas políticas de igualdade salarial de género, escreve a Al-Jazeera, estação de televisão árabe. 

As instituições que não cumprirem esta regra podem ser multadas: “É um mecanismo para garantir que homens e mulheres são pagos de forma igualitária», adiantaou Dagny Osk Aradottir Pind, do conselho executivo da Associação Islandesa dos Direitos das Mulheres à estação de televisão.

“Durante décadas tivemos legislação a dizer que o pagamento devia ser igual para homens e mulheres, mas ainda há um grande fosso de disparidade salarial”, concluiu.