Sociedade

Madeira. Presidente da Câmara do Funchal constituído arguido no caso da queda de árvore

Há mais dois arguidos além do presidente da câmara.

O presidente da Câmara do Funchal, Paulo Cafôfo, foi constituído arguido no casa da queda de uma árvore durante as festas de Nossa Senhora do Monte, em agosto do ano passado, escreve o Expresso.

Além de Paulo Cafôfo, também a vereadora ao ambiente e um funcionário da autarquia são agora arguidos do processo.

De acordo com o mesmo jornal, Cafôfo negou ir, por duas vezes, à audição parlamentar sobre a queda de árvore que fez 13 vítimas mortais e feriu cerca de 50 pessoas.

Em outubro, alegou não poder comparecer a estas sessões por alegadas questões de agenda e agora afirma que não foi invocado “qualquer fundamento e fim específico” que justifique prestar declarações perante os deputados da comissão de Saúde e Assuntos Sociais.

O presidente da câmara declarou que, por respeito a todas as vítimas e para salvaguardar os interesses da justiça e da investigação, só “considerará a possibilidade” de depoimento parlamentar em “caso de surgirem circunstâncias excepcionais”.