Politica

Costa assume "rotura" na Saúde

Costa assume que, apesar de dar resposta, o SNS está num "ponto de tensão que gera elementos de rotura".

O tema da saúde foi muitas vezes referido durante o debate quinzenal, mas foi a Heloísa Apolónia, do PEV, que António Costa admitiu que as urgências do SNS estão “obviamente há um ponto de tensão que gera elementos de rotura”.

A líder d’Os Verdes questionou quais as respostas que o governo pretende dar para que o “caos” que está a ser relatado pela comunicação social não volte a acontecer. “O que estamos a viver, vamos viver mais nos próximos anos”, respondeu Costa referindo-se aos anos sem investimento referentes à anterior Executivo de Passos Coelho e Paulo Portas.

“Aquilo que tem aumentado significativamente são as infeções respiratórias associadas ao envelhecimento da população”, disse o primeiro-ministro. “Ao longo da última semana atendemos 20 mil situações de urgência por dia. Apesar do reforço que tem vindo, quando há 20 mil pessoas que aparecem a mais nas urgências obviamente há um ponto de tensão que gera elementos de rotura”, acrescentando que o SNS tem dado resposta.