Politica

PGR. Marcelo lembra ao governo que a Constituição não é “o da Joana”

Marcelo não gostou que a renovação – ou não – do mandato do PGR  estivesse a ser discutida pelo governo na praça pública e nas suas costas. Afinal, é ao PR que compete nomear o procurador-geral 

O Presidente não gostou da ligeireza com que o governo desatou a debater a não renovação do mandato da atual procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal. 

Depois de ter dito que não se iria “debruçar sobre o assunto um minuto” nem “sobre ele dirá o que quer que seja”, Marcelo decidiu publicar na página oficial da Presidência um comunicado com um farpa implícita ao governo, em que afirma que o governo, ao trazer o assunto para a praça pública, não cumpriu um entendimento que tinha com o Presidente da República – o de só tratar da matéria no momento em que a substituição – ou não – de Joana Marques Vidal se colocar, ou seja no fim deste mandato de seis anos.

Leia mais na edição impressa do i desta quinta-feira