Internacional

Mafioso japonês foragido foi detido por culpa das tatuagens

Fotografias de um líder da yakuza tornaram-se virais e ajudaram a polícia a encontrar o criminoso na Tailândia 

Acusado de homicídio em 2003 e perseguido pela polícia japonesa há 14 anos, Shigeharu Shirai foi detido esta quarta-feira por causa do furor que as suas tatuagens causaram nas redes sociais.

O líder de um gangue yakuza – um tipo de organização associada ao crime organizado que opera há centenas de anos no Japão e que é comummente identificada como a máfia japonesa – estava escondido desde 2005 na Tailândia e foi surpreendido pela polícia local em Lop Buri, uma cidade situada a cerca de 120 quilómetros de Banguecoque.

Fotografias das singulares tatuagens no peito e nas costas de Shirai foram partilhadas no Facebook por um utilizador que desconhecia a sua identidade e, depois de milhares de visualizações e novas partilhas, chegaram ao radar da polícia japonesa. 

A ausência da ponta do dedo mindinho da mão esquerda – resultante do Yubitsume, um ritual de autopunição destinado a uma busca pela redenção e tradicionalmente levado a cabo pelos elementos da yakuza – confirmou que se tratava do foragido à justiça e deu origem a uma operação policial que resultou na sua detenção.

O mafioso, de 74 anos, foi preso pela polícia tailandesa e será brevemente extraditado para o Japão para responder pelos crimes praticados em solo japonês.