Tecnologia

Microondas são tão prejudiciais para o ambiente como os carros

Este eletrodoméstico pode dar muito jeito em casa, mas o meio ambiente não agradece a sua utilização.  

De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Manchester, no Reino Unido, os microondas são tão prejudiciais para o meio ambiente como os carros.

O estudo revela que, só nos países da União Europeia, os microondas que existem conseguem emitir cerca de 7,7 milhões de toneladas de dióxido de carbono por ano, ou seja, exatamente a mesma quantidade de poluição que os carros emitem no mesmo espaço de tempo. 

Para a realização do estudo, os cientistas analisaram o impacto que este aparelho tem, desde o início da sua fabricação, até ao momento em que é reciclado. O resultado foi simples, mas assustador: só durante o processo em que o microondas está a ser fabricado contribui em mais de 20% para o esgotamento dos recursos naturais e ainda para as alterações climáticas, que como se sabe têm sofrido enormes mudanças ao longo dos anos.

No entanto, o maior impacto que este aparelho tem no ambiente é mesmo o consumo de eletricidade. Todos os anos, por hora, na UE, os microondas consomem até cerca de 9,4 terawatts, o equivalente à quantidade de eletricidade que é gerada, anualmente, por cerca de três centrais elétricas de gás natural.

Mas há mais. Os problemas ambientais causados por este eletrodoméstico também se devem, e muito, ao desperdício.

“Os desenvolvimentos tecnológicos rápidos, e a baixa de preços associada, faz com que a compra de eletrodomésticos elétricos e eletrónicos aumente. Os consumidores agora tendem a comprar novos aparelhos antes de os antigos se estragarem. Como resultado, aparelhos como os microondas estão a tornar-se parte de uma das maiores correntes de desperdício de crescimento mais rápido em todo o mundo", refere um dos investigadores deste estudo, em declarações ao jornal britânico Metro.