Desporto

Ondas gigantes voltam a colocar a Nazaré nas bocas do mundo |Fotogaleria

As condições meteorológicas faziam adivinhar o regresso das ondas gigantes à Praia do Norte. Chegaram e alcançaram os 10 metros

AFP
AFP
AFP
AFP
AFP
AFP

As condições climatéricas que se traduziram num aviso laranja lançado pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) à costa a norte de Lisboa serviram como um anúncio quase certo do regresso das ondas gigantes à Praia do Norte, na Nazaré. E eis que elas voltaram. Depois de na quarta-feira as ondas fabricadas pelo Canhão da Nazaré não terem permitido mais do que usufruir de um verdadeiro espetáculo da natureza, dado que a intensidade do vento não permitiu a entrada dos surfistas na água, durante o dia de ontem os mais corajosos finalmente conseguiram deslizar em verdadeiras montanhas líquidas que chegaram a alcançar os 10 metros.

Várias lendas do surf nacional e internacional, como Francisco Steiner, Ross Clarke-Jones, Sebastian Steudtner, Eric Rebiére, Axi Muniain, Maya Gabeira, Justine Dupont, Marcelo Luna, Alex Botelho, João Guedes e Hugo Vau não perderam a oportunidade de apanhar as ondas que se tornaram mundialmente conhecidas depois de o norte-americano Garrett McNamara ter batido o recorde da maior onda alguma vez surfada precisamente no mesmo local. Na altura, em 2011, o surfista veterano lançou-se numa onda com cerca de 23 metros. Três anos depois, voltou à costa da vila portuguesa para bater o seu próprio recorde e surfar outra que se erguia 30 metros. 

“Nunca fiquei tanto tempo surfando uma onda” Através das redes sociais, os atletas não demoraram a partilhar o momento que muitos classificam como a melhor sessão de surf da temporada. Na legenda a acompanhar um vídeo, o surfista brasileiro Marcelo Luna garantiu: “Foi a mais extensa onda que já surfei na Nazaré, nem sei o tamanho, mas nunca fiquei tanto tempo surfando uma onda”. Enquanto o português João Guedes relembrou que se tratou do seu regresso ao mar depois de uma lesão que o deixou afastado do mar um longo período. “Depois de dois meses sem surfar devido a uma lesão nas costas, que me tem deixado afastado dos últimos sweis e treinos foi bom voltar a ter este feeling. Sei que não foi a decisão mais responsável mas não conseguia ficar fora de água num swell como este [este já é considerado o maior swell do ano 2018]”, revelou no Instagram. 

Imagens tornam-se virais

Como é habitual, sempre que as ondas gigantes se fazem ver na Nazaré as imagens depressa correm mundo. Na imprensa internacional, isso acontece sobretudo através das fotogalerias que ainda fazem muitos duvidar da veracidade das imagens. “As enormes ondas da Nazaré, local obrigatório para os surfistas”, “Ondas espetaculares na Praia do Norte, na Nazaré (Portugal), um paraíso para os amantes do surf” ou “Sessão de surf em ondas gigantes na Nazaré, Portugal” são os títulos apresentados para a sequência de imagens que, de resto, nem sequer precisavam de legenda porque falam por si.