LifeStyle

Estudo revela as principais preocupações dos jovens sobre as relações sexuais

Estudo foi divulgado este sábado

Um estudo feito liderado por Margarida Gaspar de Matos, da Faculdade de Motricidade Humana, e divulgado este sábado, revelou que, relativamente ao sexo, os jovens se preocupam principalmente com as infeções sexualmente transmissíveis e gravidezes indesejadas.

Para o estudo foram entrevistados 1.166 jovens entre os 18 e os 24 anos. Dos inquiridos, 89.6% já tiveram relações sexuais, com início da vida sexual em média aos 16 anos.

O estudo refere ainda que o preservativo é o método contracetivo mais utilizado, sendo que na primeira relação 78,8% usa preservativo. No entanto, com o desenvolver da relação a sua utilização diminui para os 48,95%.

A maior parte dos inquiridos afirmou conhecer minimamente as doenças sexualmente transmissíveis, como a SIDA, sendo que 61,8% foram sujeitos a programas de educação para prevenção do VIH/SIDA.

Os investigadores do estudo recomendaram aos ministérios da Educação e da Saúde para promoverem o uso do preservativo, possibilitando um acesso fácil ao método, bem como o uso de vacinas, testes e aconselhamento relativamente à vida sexual, apontando o abuso nas relações como sendo um risco para a saúde física e mental.