Politica

PCP acusa Bloco Central de "intensificar a exploração"

Na reunião do Comité Central, os comunistas criticaram também as imposições da Europa

O partido de Jerónimo de Sousa criticou a retoma "formal ou informa do chamado Bloco Central" que visa "intensificar a exploração e retomar o rumo de liquidação de direitos".

Num comunicado publicado no seguimento da reunião do Comité Central que decorreu este domingo, os comunistas criticam estes "projetos reacionários" que partem "das forças do grande capital e dos setores políticos a elas associados no PSD, no CDS mas também no interior do PS".

"A dívida pública continua a ser um sorvedouro de recursos nacionais, travão ao desenvolvimento e instrumento de sujeição do país às grandes potências e ao grande capital" afirma o PCP. Para o partido de Jerónimo de Sousa, "Portugal não encontrará as soluções para os problemas que enfrenta no quadro dos constrangimentos da União Europeia que se reforçam e ampliam", reafirmando "a libertação de Portugal da submissão às suas imposições, e em particular do Euro, é uma condição para o progresso social e desenvolvimento económico".