Sociedade

Detidos durante operação Lex vão ser ouvidos hoje no Supremo

Os cinco detidos ontem, durante as buscas da PJ na presença do juiz conselheiro José Souto Moura, no âmbito da Operação Lex, vão ser hoje à tarde ouvidos no Supremo Tribunal de Justiça, sabe o i.

Tal como avança a imprensa esta manhã, José Souto Moura não vai ser o juiz de instrução neste caso. Uma fonte próxima do processo explicou ao i que não é por ter sido o juiz conselheiro a acompanhar as buscas que ficará o responsável pela instrução do processo.

De acordo com o Correio da Manhã, o juiz desembargador suspeito de corrupção e táfico de influências e a sua mulher a juiza Fátima Galante serão ouvidos pelo Supremo nos dias 8 e 9 de fevereiro.

Esta manhã o número de arguidos subiu de 11 para 12. Entre os detidos encontram-se o advogado José Bernardo Santos Martins e um filho seu, supeitos de terem contas bancárias por onde circulariam os pagamentos feitos a Rui Rangel. Um funcionário judicial do Tribunal da Relação de Lisboa próximo do juiz Rangel e o benfiquista, Octávio Correia.

O juiz Rui Rangel e a sua mulher Fátima Galante não foram detidos já que uma norma do Estatuto dos Magistrados Judiciais impede a detenção ou prisão preventiva de magistrados. Também Luis Filipe Vieira não foi ontem detido.