Politica

Costa. Mário Soares "odiava" a Europa dos tecnocratas

Presidente da República foi hoje homenageado em Bruxelas

António Costa afirmou esta quarta-feira, em Bruxelas, que Mário Soares “odiava” a Europa dos tecnocratadas e desistentes e "via na Europa unida uma das mais admiráveis construções políticas e morais da história humana".

"Soares via na Europa Unida uma das mais admiráveis construções políticas e morais da história humana, de que os cidadãos e os povos europeus tinham o direito, e até o dever, de se orgulhar. Por isso, odiava a Europa dos burocratas e dos tecnocratas, a dos resignados e a dos conformistas, a dos financistas e a dos cínicos, a dos céticos e a dos desistentes", disse hoje o primeiro-ministro português.

António Costa falava hoje no Parlamento europeu, durante uma homenagem ao Presidente da República português, na qual foi atribuído o nome do antigo governante a uma sala da assembleia em Bruxelas. "Agradeço, como português e cidadão europeu, e em nome do Governo português e de Portugal, esta homenagem. Estamos muito reconhecidos aos que dela tiveram a iniciativa e a todos os que a tornaram possível. Portugal tem muito orgulho em Mário Soares, e sabemos que a Europa a que, em grande parte graças a ele, pertencemos e que ele ajudou a construir, partilha connosco este orgulho reconhecido e inspirador", afirmou o primeiro-ministro.

"No desempenho dos mais altos cargos - secretário-geral do PS, dirigente da Internacional Socialista, primeiro-ministro, Presidente da República - o grande e permanente objetivo de Soares foi instituir, consolidar, aprofundar e enraizar em Portugal, sem ambiguidades, adiamentos ou álibis, uma democracia europeia, civilista, pluralista, pluripartidária e desenvolvida", destacou António Costa.

O primeiro-ministro realçou ainda o trabalho de Soares sobre a política europeia. “Os seus escritos testemunham as suas alegrias e os seus apelos, as suas euforias e as suas preocupações, as suas advertências e as suas deceções, as suas propostas e as suas indignações. Soares foi um militante da Europa".