Internacional

“Usar o nome de Deus como garantia de seus próprios pecados é blasfémia”, diz Papa Francisco

Papa pediu aos líderes políticos e religiosos para ajudarem a educar as pessoas sobre esse tema

Durante uma audiência no Vaticano, na sequência conferência ‘Violência cometida em nome da religião’, o Papa Francisco afirmou “que uma das maiores blasfémias é usar o nome de Deus como garantia de seus próprios pecados e crimes, para justificar assassinatos, escravidão, exploração em todas as suas formas, opressão e perseguição de pessoas e populações inteiras”.

O Papa sublinhou também que é necessário informar as pessoas de que esses atos de violência não estão relacionados com a religião e que os "líderes políticos e religiosos, professores e trabalhadores que educam” devem desempenhar esse papel.

O seu discurso ficou também marcado pela rejeição de “qualquer forma de violência”. “A violência propagada e implementada em nome da religião só pode desacreditar a mesma religião e, como tal, deve ser condenada por todos”, realçou.

Por fim, o Papa deixou o apelo a todos os líderes religiosos: desvendar “qualquer tentativa de manipular Deus para fins que não têm nada a ver com ele”.