Sociedade

Já pode investir a partir de 50 euros num T1 em Lisboa

Housers lança segundo projeto de investimento imobiliário em Lisboa. Primeiro projeto financiado em Portugal foi em Campo de Ourique, reuniu 453 investidores e representou um investimento de 193 mil euros

A Housers, plataforma de crowdfunding imobiliário, acaba de lançar o seu segundo projeto de investimento imobiliário no mercado português. A ideia é angariar 188 mil euros para um T1 no bairro de Santos ao Rego, em Lisboa. Com um investimento mínimo de 50 euros pode receber parte dessa renda. Neste momento o projeto já angariou 130 investidores e tem perto de 25% do valor necessário, ou seja, cerca de 46 mil euros.

A plataforma espanhola entrou no mercado nacional em outubro com vista a “democratizar o investimento no setor imobiliário”. O primeiro projeto financiado em Portugal foi um T1 de 49 metros quadrados em Campo de Ourique, um investimento de 193 mil euros. O imóvel foi vendido em 20 dias e ganhou 453 novos donos.

A Housers já ultrapassou os 1200 utilizadores em Portugal e promete um investimento “num setor que se encontra em rápido crescimento e que oferece rentabilidades mais atrativas e com menos risco, em comparação com outros instrumentos financeiros”.

De acordo com a plataforma, mais de 50% dos utilizadores são da área metropolitana de Lisboa, seguindo-se a área metropolitana do Porto com 20%, e os restantes 30% são de outras localizações pelo país e ilhas. A média de idades dos utilizadores é de 36 anos.

De acordo com João Távora, CEO da Housers Portugal, “o facto de termos atingido rapidamente este número expressivo de utilizadores, essencialmente de forma orgânica, mostra como o setor imobiliário é atrativo para os portugueses e comprova o potencial do crowdfunding em Portugal”. O responsável acrescenta ainda que “o mercado imobiliário está bastante dinâmico, por isso acredito que em 2018 vamos continuar a crescer, oferecendo aos portugueses uma alternativa de investimento para investirem as suas poupanças”.

Negócio A nível global, desde que iniciou a atividade em 2016, a Housers já distribuiu 4,7 milhões de euros (devolução de capital e juros) a mais de 10 mil investidores, em dez projetos em Espanha e Itália.

“Na generalidade, as taxas de rentabilidade conseguidas no final dos projetos foram superiores às taxas iniciais estimadas pela Housers, o que comprova o sucesso dos mesmos e o conservadorismo nas nossas análises. De notar que estamos a entregar taxas de rentabilidade que variam entre 5,5% e 20,8%, o que nos torna uma alternativa de aplicação de poupanças bastante interessante quando comparada com os produtos financeiros mais tradicionais”, acrescenta João Távora.

A plataforma já excede os 200 imóveis financiados, tendo já acumulado mais de 40 milhões de euros investidos através de financiamento coletivo em vários projetos imobiliários, localizados em áreas estratégicas das maiores cidades de Espanha, Itália e Portugal.

Atualmente conta com mais de 74 mil utilizadores inscritos, provenientes de Espanha, Itália e Portugal, bem como de países como França, Reino Unido ou Alemanha e prevê alcançar 11 mil utilizadores em apenas um ano no mercado português.

Como investir Para poder investir basta entrar no site da Housers e inscrever-se. Sendo português, basta a informação do cartão de cidadão e o Lemoway — a plataforma bancária eletrónica que gere o dinheiro aplicado na Housers pelo utilizador (semelhante ao PayPal) — autenticará o utilizador.

Para quem possa ser mais desconfiado, João Távora garante ao i que as regras são apertadas: “Temos de cumprir regras de branqueamento de capitais. As rentabilidades são estimadas mas, no limite, se não fizermos bem as contas, perdemos. A garantia é maior porque há um ativo. No fundo, estamos a competir com outros produtos financeiros”.

Mas se há tetos mínimos para o investimento, também há limite máximo. De acordo com o CEO da plataforma, um investidor não qualificado pode investir até três mil euros. Já no caso de ser qualificado, passa a não existir qualquer limite.