Vida

Descoberta nova espécie de aranha que já tem 100 milhões de anos

Foi descoberta, preservada num pedaço de âmbar encontrado numa floresta em Myanmar.
 

Uma nova espécie de aranha, com 100 milhões de anos, e que estava preservada em âmbar, foi agora descoberta numa floresta em Myanmar. Esta nova espécie está a deixar os biólogos entusiasmados, uma vez que pode ser uma das peças que faltava para compor a evolução dos aracnídeos.

Este animal tem, tal como acontece como todas as aranhas, as tradicionais patas, os mesmos órgãos, que servem para produzir o fio da teia e para apanhar as presas, mas tem uma característica nunca antes vista: uma cauda. Isto pode significar que a evolução destes animais foi mais complexa do que se supõe.

"É muito interessante porque parece ser uma forma intermédia de [de aranha ]", revela Paul Selden, professor da Universidade do Kansas e um dos autores da descoberta, publicada hoje na revista científica Nature Ecology & Evolution.

A equipa que estudou a nova espécie deu-lhe o nome de Chimerarachne e os cientistas acreditam que ainda pode andar por aí, nas áreas mais recônditas das florestas de Myanmar.