LifeStyle

Há clínicas que ‘reprogramam’ jovens viciados em tecnologias

Objetivo é fazer com que os jovens totalmente viciados nas tecnologias, como telemóveis e internet, se voltem a reaproximar da sociedade que os rodeia, mais concretamente dos amigos e da família.


As clínicas de “desconexão” para crianças e jovens viciados em telemóveis e na internet são hoje um negócio que está a crescer muito, especialmente em São Francisco, na Califórnia.

Embora este tipo de dependência não seja considera uma doença, a existência destas clínicas significa que há um problema e que pode ser grave.

Silicon Valleyé neste momento o grande fenómenos dos Estados Unidos, no que diz respeito a esta matéria. Só nos últimos cinco anos, esta zona da Califórnia criou diversas clínicas, que oferecem tratamentos específicos para os jovens que passam cerca de 20 horas por dia agarrados às novas tecnologias.

De acordo com a BBC Brasil, a Paradigm é uma das clínicas mais conceituadas de Sillicon Valleyé, e cobra, por dia, 1.633 dólares. Os internamentos duram, em média, 45 dias, podendo chegar aos 60 dias, no caso do grau de dependência ser muito elevado.

A partir do momento em que estes jovens são internados, é-lhes imposta uma rotina, que inclui fazer várias atividades: acordam, estudam, fazem refeições e participam em terapias coletivas e individuais. Os pacientes são acompanhados ao longo de todo o tempo de internamento por psicólogos e professores.

“Desconecta-mo-los. Essa é a regra”, refere Danielle Kovac, diretora da clínica, em declarações à BBC Brasil.

Contudo, há quem critique estes métodos, afirmando que se trata apenas de um negócio para fazer dinheiro, e não para ajudar realmente as pessoas que precisam. 

 

Os comentários estão desactivados.