Sociedade

Esfaqueamento em Lisboa. Duas das três vítimas já tiveram alta

Vítimas têm 17, 18 e 20 anos

Esta terça-feira, três jovens com 17, 18 e 20 anos foram esfaqueados com recurso a uma arma branca perto das imediações da escola Eça de Queirós, nos Olivais, em Lisboa.

Hugo Palma, Intendente e Diretor do Gabinete de Imprensa e Relações Públicas da PSP, confirmou ao i que a patrulha foi chamada por causa de “uma rixa naquela zona”. Ao chegar ao local, as três vítimas foram encontradas com “sinais de esfaqueamento” em várias partes do corpo e apesar de serem “feridas ligeiras” era necessário “tratamento hospitalar”.

As vítimas revelaram à PSP que foram agredidas por “um grupo de cerca de dez a doze indivíduos”. No entanto, “até ao momento ninguém foi identificado”, porque, segundo explicou Hugo Palma, o grupo de agressores já tinha abandonado o local quando a patrulha chegou. O motivo das agressões continua desconhecido.

O i contactou o Ministério da Educação que confirmou que as agressões não foram dentro da escola e nada tiveram haver com “a comunidade escolar”.

Segundo afirmou fonte do INEM à Lusa, o alerta terá sido dado por volta das 14h56 da tarde de ontem, terça-feira, e as agressões terão sido feitas uma com uma arma branca.

Os bombeiros e INEM fizeram os primeiros socorros no local. No entanto, as vítimas foram transportadas para o hospital: duas foram levadas para o Hospital de São José e a terceira, por ser menor de idade foi levada para o Hospital D. Estefânia.

Esta terça-feira ao fim da tarde, fonte do Centro Hospitalar Lisboa Central referiu à Lusa que “o jovem que foi transportado para o Hospital D. Estefânia já teve alta”, enquanto uma das vítimas que foi transportada para o Hospital de São José já estava pronta “para ter alta em breve ao final da tarde”.

Já a terceira vítima, encontra-se internada na Urgência Geral Polivalente do Hospital de São José em observação, mas está em “situação estável”.

No local estiveram uma Viatura Médica da Emergência e Reanimação do Hospital de São José, três ambulâncias e uma mota de emergência do INEM.