Sociedade

Elina Fraga: "Os jornalistas não revelam as fontes porque não são obrigados a fazê-lo"

A nova vice-presidente do PSD diz que "a comunicação social é que está a desviar as atenções"


Elina Fraga, ex-bastonária da Ordem dos Advogados e nova vice-presidente do PSD, afirmou hoje numa entrevista à RTP que "os únicos que poderiam dizer 'as minhas fontes são estas'", isto é, os jornalistas, "não o dizem uma vez que não são obrigados a fazê-lo".

A membro da Comissão Permanente de Rui Rio, que hoje reuniu pela primeira vez, deu duas entrevistas esta noite, à RTP e à SIC.

Na primeira, disse: "Os senhores jornalistas saberão as vossas fontes melhor do que eu. A verdade é que houve uma vez em que eu disse que havia segredo de justiça. Eu sei que há, todos os portugueses sabem que há a violação do segredo de justiça".

À SIC, acusou a comunicação social de estar a "desviar as atenções" do PSD para a investigação que a Ordem dos Advogados encaminhou para a Procuradoria-Geral da República sobre o seu mandato enquanto bastonária. "Quem está a desviar as atenções é a comunicação social", criticou. "Se eu mandasse na SIC não estaria a falar numa investigação. Para mim o que conta são as condenações", argumentou Fraga.

A vice-presidente social-democrata revelou que o atual governo lhe "repugna por ser de esquerda" e que não se demitirá das funções para que foi recentemente nomeada.