Sociedade

Cantinas escolares. Inquérito indica que há melhorias mas ainda há casos de má qualidade de comida

Um inquérito realizado a 89 associações de pais, revela que já há melhorias, mas ainda assim existem casos em que a qualidade da comida é pouca ou de má qualidade.

“Houve melhorias mas ainda há muitas situações onde a qualidade e a quantidade da comida deixam muito a desejar”, revelou à Agência Lusa, o presidente da Federação Regional de Lisboa das Associações de Pais (FERLPA), Isidoro Roque. A entidade realizou um inquérito junto das associações de pais de escolas dos distritos de Lisboa e de Santarém.

De acordo com o inquérito a que a Lusa teve acesso, uma em cada três associações de pais ainda se queixa das cantinas escolares onde os filhos comem todos os dias. “A comida continua a ter uma qualidade sofrível ou má para cerca de 36% das Associações de Pais”.

“Apenas 24% consideram que a comida é aceitável e 9% consideram mesmo que a comida é muito boa ou muito próximo disso. Pelo contrário cerca de 2% das Associações de Pais continuam a considerar a comida muito má ou quase muito má”, pode ler-se no relatório obtido.

Relativamente à quantidade de comida, o inquérito mostra que se nota uma melhoria bastante significativa, com apenas 8,5% dos pais a queixarem-se que ainda servem pouca comida aos alunos.

Na maioria dos casos, 53%, os pais consideram que a quantidade de comida servida é aceitável e 36% consideram mesmo que é “bem servida”.

A mesma fonte indica que ainda há ajustes a fazer relativamente a toda esta questão da comida nas cantinas escolares, mas que mesmo assim há uma melhoria notável.

Segundo revelou à Lusa a mesma fonte, o inquérito já foi entregue ao Ministério da Educação e, agora a Ferlap aguarda pela remarcação de uma reunião com a secretária de estado, Alexandra Leitão.