Sociedade

Acidente com autocarro na Avenida da Liberdade leva Medina a rever regras

Autocarros de dois andares podem deixar de circular na faixa ‘bus’ da Avenida da Liberdade, em consequência do acidente que ocorreu há uma semana. Fernando Medina já admitiu possibilidade.

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, admitiu, esta quarta-feira, que existe a possibilidade de os autocarros com dois andares deixarem de circular na faixa 'bus' da Avenida da Liberdade, em Lisboa, de forma a evitar novos acidentes.

Medina disse que "o que se vai fazer é a avaliação da situação das árvores" na Avenida, para depois ser tomada uma decisão, "ou uma intervenção de poda sobre as árvores, resolvendo isso o problema, ou então - se no caso limite a isso formos obrigados para evitar abates de árvores em casos que elas se possam manter saudáveis - a limitação à circulação de autocarros de dois andares nos corredores 'Bus', para evitar que acidentes daquela natureza voltem a ocorrer",garantiu o presidente da câmara.

A afirmação de Fernando Medina veio em resposta ao vereador do CDS, João Gonçalves Pereira, que questionou o presidente da câmara sobre a “responsabilidade da manutenção e da gestão do património arbóreo na Avenida da Liberdade". "Dos documentos que analisámos, ficámos com a sensação de que a responsabilidade era da câmara", referiu João Gonçalves, acrescentando que "há árvores com idênticas condições daquela que foi motivo de abate na Avenida".

Recorde-se que, na semana passada, ocorreu um acidente na Avenida da Liberdade, que envolveu um autocarro turístico de dois andares. O veículo, que transportava 23 passageiros, embateu contra uma árvore, que estava inclinada para a faixa de circulação.