Sociedade

Cerca de um quinto dos portugueses adiciona sal no prato já confecionado

Dados revelam que 13,7% das pessoas que têm esse hábito sofrem de hipertensão arterial

Segundo os resultados do Inquérito Nacional de Saúde com Exame Físico (INSEF), cerca de um quinto dos portugueses adiciona sal no prato da comida já confecionada.

O inquérito foi feito pelo Departamento de Epidemiologia do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, que analisou o consumo a mais de sal dos portugueses, tendo concluído que, 1,19 milhões adiciona sal ao prato quando este já está cozinhado.

Para o estudo foram analisadas 4.911 pessoas, com idades entre os 25 e 64 anos. Os resultados revelaram que os homens – um em cada cinco – adicionam mais sal do que as mulheres – uma em sete.

O grupo que se situa entre os 25 e os 34 anos é o que mais adiciona sal aos alimentos já cozinhados e o Algarve é a região que mais tem esse hábito, cerca de 35,8%.

Os dados revelaram ainda que 13,7% das pessoas que têm esse hábito sofrem de hipertensão arterial.

A Sociedade Portuguesa de Hipertensão referiu que se cada pessoa consumisse menos dois grãos de sal por dia, a taxa de Acidente Cardiovascular Cerebral (AVC) diminuiria cerca de 30 a 40% nos próximos cinco anos, e que em Portugal se registariam menos 11 mil casos de AVC.

Por ano, o consumo de sal em excesso provoca 2,3 milhões de mortes em todo o mundo.