Sociedade

Marcelo diz que não se deve desistir de investigação de casos como Tancos

Presidente da República diz que investigações devem ir "mais a fundo"

Marcelo Rebelo de Sousa defendeu esta quinta-feira uma investigação “mais a fundo” aos casos que, nos últimos tempos, envolveram as Forças Armadas.

O Presidente da República falou em casos em que o "apuramento pelas estruturas internas" permitiu "identificar omissões, insuficiências, erros estruturais antigos, propor e decidir mudanças imediatas de procedimento, detetar falhas individualizadas, concretas e punidas".

Mesmo assim, essas ações não permitiram "identificar cabalmente quem e como agiu, bem como eventual nexo de causalidade", afirmou Marcelo, durante a cerimónia de posse do novo Chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, almirante António Silva Ribeiro.

"Isso não nos deve fazer desistir e esperar que se vá mais longe e a fundo", acrescentou o Presidente da República, citado pela agência Lusa.

Marcelo Rebelo de Sousa falou sobre o assunto sem referir um dos casos mais mediáticos – o desaparecimento das armas do paiol de Tancos, em junho de 2017.