Politica

BE exige “medidas urgentes” para recuperar Forte de Santo António da Barra

Bloquistas recordam que o Forte de Santo António da Barra serviu de “residência de férias do ditador António de Oliveira Salazar, onde, por sinal, se deu a queda que viria a degradar fatalmente o seu estado de saúde”

O BE e o PAN apresentaram projetos de resolução, no parlamento, a recomendar ao governo a recuperação do Forte de Santo António da Barra, em Cascais.

O diploma do BE pretende que o governo “tome medidas urgentes de proteção do Forte de Santo António da Barra” e “efetue as diligências necessárias para o cumprimento do protocolo para a transferência das competências de exploração do local do governo central para o município”.

Os centristas lembram que o Forte de Santo António da Barra serviu de “residência de férias do ditador António de Oliveira Salazar, onde, por sinal, a 3 de agosto de 1968 se deu a queda que viria a degradar fatalmente o seu estado de saúde”. O projecto do BE recorda que o Forte de Santo António da Barra serviu a defesa marítima até finais do século XIX”

O projeto de resolução do PAN recomenda ao governo que “proceda à urgente proteção e célere recuperação do Forte de Santo António da Barra” e “mantenha este património sob a esfera estatal e que garanta a sua utilidade pública”.

Os dois diplomas chamam a atenção para o estado de degradação do edifício. “Multiplicam-se as janelas partidas, mobiliário destruído, azulejos históricos roubados e paredes danificadas”, refere o diploma dos bloquistas.