Desporto

Liga dos Campeões. Ficou tudo na mesma: FC Porto e PSG vão ver o resto em casa

Os dragões não saíram do 0-0 em Anfield. Em Paris, Ronaldo marcou e um chouriço fechou as contas: Liverpool e Real Madrid seguem em frente

A tarefa que FC Porto e Paris Saint-Germain tinham em mãos estava longe de ser desejável. As derrotas na primeira mão (0-5 no Dragão, frente ao Liverpool, e 3-1 no Santiago Bernabéu, perante o Real Madrid) ja deixavam pouca margem para surpresas, mas alguma coisa ainda se esperava - principalmente por parte do PSG, que mesmo privado de Neymar continua a ter um poder de fogo invejável: ontem, o trio atacante foi constituído por Di María, Cavani e Mbappé. Dificilmente se encontra melhor no futebol mundial.

Na prática, todavia, nada de novo aconteceu: o Real Madrid foi a território francês vencer novamente, agora por 2-1, e FC Porto e Liverpool não saíram do nulo em Anfield. Em Paris, o duelo foi relativamente dividido, mas pertenceram ao Real Madrid as melhores ocasiões. Na primeira parte, Aréola, guardião parisiense, levou a melhor sobre Sergio Ramos e Benzema, com Varane a desperdiçar também uma excelente oportunidade, atirando por cima. Só perto do intervalo o PSG causou perigo, com Navas a frustrar os intentos de Mbappé.

Depois do intervalo vieram os golos. Logo após ter desperdiçado uma soberana ocasião, de cabeça, Cristiano Ronaldo não perdoou à segunda oportunidade: a cruzamento de Lucas Vázquez, respondeu “sim” e abriu a contagem. O PSG ficava então derrotado, e mais ainda quando Verratti foi expulso (66’) por protestar de forma ostensiva com o árbitro.

Curiosamente, foi reduzido a dez que o conjunto parisiense logrou o empate, cinco minutos depois. Numa jogada de insistência na área madrilena, um remate de Pastore foi travado por Varane em cima da linha, mas a bola bateu em Cavani e entrou caprichosamente na baliza merengue. Durou pouco, todavia, a alegria parisiense: à passagem do minuto 80, um remate aparentemente inofensivo de Casemiro ressaltou num defesa do PSG e passou por cima do guardião. Lucas ainda viria a acertar no poste e, em cima do minuto 90, Aréola negou o golo a Isco com mais uma enorme intervenção.

Em Anfield, tanto Sérgio Conceição como Jurgen Klopp inovaram - que é como quem diz: rodaram a equipa. O treinador dos reds mudou cinco jogadores em relação ao encontro do último fim de semana na Premier League, frente ao Newcastle, deixando, entre outros, o goleador Salah no banco. Já o técnico portista foi ainda mais longe: foram sete as alterações à equipa que bateu o Sporting, no clássico da última sexta-feira - só Casillas, Maxi Pereira, Felipe e Diogo Dalot mantiveram a titularidade. A grande surpresa foi mesmo Bruno Costa, médio de 20 anos que fez a estreia absoluta na primeira equipa dos azuis-e-brancos.

O encontro até foi interessante, a espaços bem jogado, mas sem grandes oportunidades. Realce para um tiro de Sadio Mané ao poste e para uma grande defesa de Casillas a cabeceamento do suplente Ings, já nos minutos finais.