Sociedade

Fuga à polícia mata condutor na CRIL

Homem de 60 anos não resistiu a uma colisão frontal perto da saída da CRIL para o Parque de Campismo de Monsanto. Número de mortes na estrada continua a aumentar este ano

Um acidente violento fez ontem uma vítima mortal na CRIL, perto da saída para o Parque de Campismo de Monsanto. Um carro em contramão, sinalizado pela polícia pouco tempo antes e suspeito de estar envolvido num negócio de tráfico de droga, embateu contra duas viaturas. A vítima mortal é um dos ocupantes, um homem de 60 anos no sítio errado à hora errada.Tudo começou quando a PSP intercetou um encontro entre dois indivíduos na zona de Monsanto em dois carros parados. O condutor de um dos veículos, de nacionalidade portuguesa, foi detido.

O outro, num Seat Leon amarelo de matrícula espanhola e que estaria a ser investigado pela Divisão de Investigação Criminal de Lisboa, por suspeita de tráfico de droga, acabou por fugir. A PSP optou por não perseguir a viatura dado que o carro seguiu em contramão pela CRIL.Um pouco adiante, passava pouco das 14h40, deu-se o embate mortal, que fez ainda dois feridos, entre os quais o homem em fuga.

Em comunicado, o Comando Metropolitano da PSP fez ao final do dia uma súmula do que passou. O homem que fugiu aos agentes após a interceção em Monsanto tem nacionalidade estrangeira e 43 anos. Entrou na CRIL em contramão no sentido Benfica-Algés. “Não foi efetuada qualquer perseguição policial por não existirem condições de segurança para o efeito.

Foi de imediato alertado o Centro de Comando e Controlo da PSP no sentido de localizar a viatura em fuga, nomeadamente nas eventuais saídas daquela via”, garante a PSP. “Verificou-se posteriormente que a viatura em causa embateu noutra viatura que circulava no sentido Algés-Benfica. Desta colisão, na qual esteve envolvida uma terceira viatura, há a lamentar um ferido ligeiro, um ferido grave (condutor da viatura em fuga, que se encontra sob detenção) e uma vítima mortal (60 anos de idade).”

No interior da viatura em fuga acidentada, que ficou completamente destruída, foi possível apreender produto estupefaciente suspeito de ser haxixe, informou o comando.A PSP adiantou ainda que as Brigadas de Investigação de Acidentes de Viação (BIAV) da Divisão de Trânsito vão investigar o acidente.

O acidente trágico e aparatoso de ontem, cujos contornos deverão ser mais bem explicados nas próximas semana, vem agravar as estatísticas da sinistralidade rodoviária, que não dão sinais de melhoria depois de um ano com um balanço negativo.

De acordo com dados provisórios da Autoridade Nacional Rodoviária, até ao final do mês de fevereiro morreram 83 pessoas nas estradas portuguesas, mais nove do que no mesmo período do ano passado. O número de acidentes também subiu face aos dois primeiros meses de 2017, de 19 903 para 20 033. Há, ainda assim, uma redução nos feridos graves.Um acidente violento fez ontem uma vítima mortal na CRIL, perto da saída para o Parque de Campismo de Monsanto. Um carro em contramão, sinalizado pela polícia pouco tempo antes e suspeito de estar envolvido num negócio de tráfico de droga, embateu contra duas viaturas. A vítima mortal é um dos ocupantes, um homem de 60 anos no sítio errado à hora errada.

Tudo começou quando a PSP intercetou um encontro entre dois indivíduos na zona de Monsanto em dois carros parados. O condutor de um dos veículos, de nacionalidade portuguesa, foi detido. O outro, num Seat Leon amarelo de matrícula espanhola e que estaria a ser investigado pela Divisão de Investigação Criminal de Lisboa, por suspeita de tráfico de droga, acabou por fugir. A PSP optou por não perseguir a viatura dado que o carro seguiu em contramão pela CRIL.

Um pouco adiante, passava pouco das 14h40, deu-se o embate mortal, que fez ainda dois feridos, entre os quais o homem em fuga. Em comunicado, o Comando Metropolitano da PSP fez ao final do dia uma súmula do que passou. O homem que fugiu aos agentes após a interceção em Monsanto tem nacionalidade estrangeira e 43 anos. Entrou na CRIL em contramão no sentido Benfica-Algés. “Não foi efetuada qualquer perseguição policial por não existirem condições de segurança para o efeito. Foi de imediato alertado o Centro de Comando e Controlo da PSP no sentido de localizar a viatura em fuga, nomeadamente nas eventuais saídas daquela via”, garante a PSP. “Verificou-se posteriormente que a viatura em causa embateu noutra viatura que circulava no sentido Algés-Benfica. Desta colisão, na qual esteve envolvida uma terceira viatura, há a lamentar um ferido ligeiro, um ferido grave (condutor da viatura em fuga, que se encontra sob detenção) e uma vítima mortal (60 anos de idade).”

No interior da viatura em fuga acidentada, que ficou completamente destruída, foi possível apreender produto estupefaciente suspeito de ser haxixe, informou o comando.

A PSP adiantou ainda que as Brigadas de Investigação de Acidentes de Viação (BIAV) da Divisão de Trânsito vão investigar o acidente.

O acidente trágico e aparatoso de ontem, cujos contornos deverão ser mais bem explicados nas próximas semana, vem agravar as estatísticas da sinistralidade rodoviária, que não dão sinais de melhoria depois de um ano com um balanço negativo.

De acordo com dados provisórios da Autoridade Nacional Rodoviária, até ao final do mês de fevereiro morreram 83 pessoas nas estradas portuguesas, mais nove do que no mesmo período do ano passado. O número de acidentes também subiu face aos dois primeiros meses de 2017, de 19 903 para 20 033. Há, ainda assim, uma redução nos feridos graves.