Sociedade

Viana do Castelo. Idosa fica com reforma suspensa depois de ter sido dada como morta

Pensionista foi dada como morta pela Segurança Social

Uma idosa de 77 anos ficou coma sua reforma suspensa depois de ter sido dada como morta pela Segurança Social, em Viana do Castelo.

Segundo Instituto da Segurança Social (ISS) referiu à Lusa, “a pensão de direito próprio e a pensão de sobrevivência foram suspensas em resultado de uma troca eletrónica de dados com o Ministério da Justiça”, lamentando o sucedido e que afirmando que o “erro foi corrigido, mal foi detetado”.

Depois de ter surgido a reclamação, “o pagamento das pensões foi reativado e as pensões serão pagas no mês de abril com os devidos retroativos”.

No entanto, o genro da pensionista, Armando Sobreiro, não ficou satisfeito com a resolução do erro. “A minha sogra está muito abalada com toda esta situação, que só não é mais dramática porque ainda há algum suporte familiar. Se não houvesse, como seria? Onde está o Estado?”, adiantando que a falta de pagamento das pensões começou o ano passado, em novembro.

Em dezembro apresentaram a reclamação ao Centro Distrital de Segurança Social de Viana do Castelo, que lhes disse que dentro de 90 dias a situação voltaria ao normal.

Armando contou ainda que as pensões de janeiro foram depositadas normalmente na conta bancária, mas o valor em atraso não e que em fevereiro a idosa voltou a não receber o dinheiro.

“Fomos, novamente, ao Centro Distrital de Segurança Social e fomos informados que a suspensão se ficou a dever ao facto de a minha sogra ter sido classificada como morta. Adiantaram que iriam comunicar o caso aos serviços centrais, apontando, na melhor das hipóteses, para abril a reposição dos pagamentos”, explicou o genro, afirmando que esta situação é vergonhosa "a todos os níveis e, depois, ninguém assume responsabilidade. Uma pessoa nesta situação de que forma vai sobreviver quando é suspensa a sua única fonte de rendimentos?”.