Desporto

Ministério Público abre inquérito sobre segunda parte de Estoril-FC Porto

Em causa está uma alegada reunião 

O Ministério Público (MP) abriu um inquérito à segunda parte do jogo entre o Estoril e o FC Porto, que foi disputada no dia 21 de fevereiro.

"A queixa relacionada com a segunda parte do jogo Estoril Praia-FC Porto foi remetida ao Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, onde deu origem a um inquérito que se encontra em investigação", afirmou fonte oficial da PGR.

Em causa está uma alegada reunião de um representante da Traffic - empresa que detém a maioria do capital da SAD do Estoril - um empresário e um dirigente do FC Porto, antes de a segunda parte ter sido jogada. Nessa altura também foi feita uma transferência de 730 mil euros do Porto para o Estoril.

O FC Porto venceu o jogo por 3-1, depois de na primeira parte estar a perder por uma bola a zero. O jogo, que estava a decorrer no dia 15 de janeiro, teve de ser interrompido por problemas de segurança. E a segunda parte só foi jogada no dia 21 de fevereiro.

Francisco J. Marques referiu que esse dinheiro era relativo a dívidas que tinha com o Estoril, acerca da transferência de Carlos Eduardo para o Al Hilal.