Economia

Dia da Mulher. Só dois em cada cinco anúncios imobiliários online são submetidos por mulheres

Apenas no arrendamento de quartos as mulheres ganham. 

A responsabilidade de vender ou arrendar um imóvel parece ficar maioritariamente a cargo dos homens. Apenas 39,5% dos anúncios online de particulares publicados no idealista são submetidos pelo género feminino, contra os 60,5% publicados pelo sexo masculino, segundo um estudo realizado pelo idealista, a propósito do Dia Internacional da Mulher.

Em termos geográficos, é no Algarve que a percentagem de “mulheres anunciantes” é mais elevada (39,3%). Seguem-se o Alentejo (37,5%), o Norte (36,8%) e o Centro (33,4%). Por outro lado, é na Madeira onde o sexo masculino mais predomina nas operações imobiliárias domésticas, sendo apenas 31,6% dos anúncios publicados pelo sexo feminino. De referir que Lisboa é a região que apresenta uma maior paridade de anunciantes, sendo 47,6% dos anúncios publicados por mulheres.

O tipo de operação que se pretende realizar, venda ou arrendamento, também marca a diferença no papel dos géneros. É no arrendamento que encontramos uma maior igualdade (45,2% dos anúncios pertencem a mulheres) do que nos anúncios de venda onde apenas 35,7% são submetidos pelo género feminino.

Da mesma forma, em determinados tipos de produtos imobiliários, a probabilidade de encontrar um anunciante masculino é mais elevada. Somente 25,2% dos anúncios de terrenos estão a cargo de mulheres. Uma tendência que também se repete no caso das garagens (32,8%) e das lojas/armazéns (36,1%). No segmento escritórios, por seu turno, há um maior equilíbrio: 48,3% mulheres/51,7% homens. É apenas no arrendamento de quartos que encontramos uma percentagem de anunciantes femininos maior (55,2%).

Os dados são revelados por um estudo realizado entre os utilizadores não profissionais que anunciaram os seus imóveis no idealista, o marketplace imobiliário de Portugal, entre 19 a 24 de fevereiro de 2018.