Economia

Incêndios. Fundo de solidariedade atribuiu compensações no valor de 3,409 milhões

Foram atribuídas compensações a 157 familiares de vítimas falecidas e a 25 feridos graves.

O Fundo de Solidariedade constituído para apoiar os feridos graves e os familiares das pessoas falecidas nos incêndios que assolaram o país em 2017 foi já encerrado. No total, o fundo atribuiu compensações no valor de 3,409 milhões de euros.

A Comissão de Gestão do Fundo de Solidariedade, integrada pela APS e vários seguradores, coordenada pelo Professor Pedro Romano Martinez, realizou 10 reuniões de trabalho para analisar e decidir os processos de compensação e deu agora por concluído o seu trabalho.

"Nas referidas reuniões foram analisados 109 processos de vítimas falecidas e 25 processos de feridos graves, processos esses que vieram a ser instruídos por equipas experientes indicadas por algumas das associadas da APS e que, no terreno, contactaram diretamente todos os potenciais beneficiários do Fundo. No final, foram atribuídas compensações a 157 familiares de vítimas falecidas e a 25 feridos graves", refere em comunicado.

Recorde-se que as empresas de seguros que operam em Portugal decidiram, em julho de 2017, e na sequência dos incêndios ocorridos em Pedrógão e nos concelhos limítrofes, constituir um Fundo Especial de Solidariedade destinado a apoiar os feridos graves e os familiares das pessoas falecidas na sequência dos graves incêndios.

"Em outubro de 2017, voltaram a ocorrer incêndios de grande dimensão, dos quais resultaram novamente diversas mortes e feridos graves, tendo as empresas de seguros decidido reforçar a dotação do Fundo para, de acordo com os mesmos critérios, poderem apoiar também os feridos graves e os familiares das pessoas falecidas nesta nova vaga de incêndios", refere.